“Como assim você não bebe?” é a inevitável pergunta que sempre leva à segunda: “então pra quê chamou a gente para um chopp?” Eu chamaria para ir ao bar, comer um gurjão de frango ou até curtir um calor ali na esquina mas é que “tomar um chopp” costuma ser algo mais sintético e convidativo, desde que não perguntem porque não vou pedir cerveja.

Claro que a partir deste ponto vocês, pessoas que bebem, revelam seu destino manifesto que é fazer as pessoas que não bebem passarem a beber. O que faz tanto sentido quanto submarinos voarem.

E então todos oferecem bebidas na base do “você nem vai sentir o álcool nessa” E vejam só: sinto excepcionalmente o gosto do álcool já que, pasmem, não estou acostumado ao álcool. Isto quando alguém me oferece uma cerveja artesanal com a alegria de um artista apresentando seu quadro “esta você vai achar diferente”…

É tudo Itaipava pra mim, amigo. Verdade.

Ando até pensando em começar a beber alguma coisa para ter desculpa. “Cerveja? Obrigado. Só bebo vinho francês. De vinte anos pra trás”. Vai que funciona. Até lá, aguardo convites para um chopp, viu?

escrito por tcordeiro
Meu nome é Tiago Cordeiro e trabalho com conteúdo (textos, roteiro, ficção e não ficção), redes sociais e marketing digital.

Os comentários estão fechados.